Back to Blog

Como combinar segurança e experiência do usuário em casas de apostas online?

Alan Faleiro

A segurança e a experiência dos usuários precisam caminhar juntas em casas de apostas online. Ninguém discorda dessa afirmação, mas como combinar esses dois fatores diante da necessidade de validação da identidade dos apostadores?

A ausência de qualquer um desses aspectos prejudica a visão do usuário sobre um site e é capaz de impactar negativamente nos resultados do negócio. Para evitar isso, a saída está na busca pelo equilíbrio entre eles. 

Nesse post, você fica sabendo como é possível combinar segurança e experiência do usuário e conhece uma série de tecnologias que já estão disponíveis no mercado para auxiliar seu negócio nessa tarefa. Confira. 

Opte por métodos automatizados

A grande chave da questão sobre como combinar segurança e experiência em casas de apostas online está na adoção de métodos automatizados para a prevenção de fraudes e consequente otimização de tempo no cadastro e reautenticação de usuários.

A automação dos métodos de prevenção à fraude ajuda a tornar tudo mais ágil e prático tanto para o operador da casas de apostas online quanto para os usuários que fazem uso da plataforma para realizar apostas esportivas.

Além de resolver os problemas do grande volume de análises e alto custo das operações manuais, a automação traz mais técnica às verificações de identidade, uma vez que os processos manuais podem ser muito subjetivos e, não à toa, costumam registrar uma série de erros.

Em paralelo, a automação dos métodos de prevenção à fraude contribui para o desenvolvimento de uma interface mais ágil e amigável, o que diminui as fricções com o usuário e garante maior agilidade ao processo de cadastro e reautenticação de usuários. 

As tecnologias que podem ajudar

Imagem ilustrativa para representar o processo de prova de vida em um celular

A tecnologia tem revolucionado o setor de prevenção à fraude e pode ser uma grande aliada para ajudar as casas de apostas online na obtenção de processos mais eficientes capazes de resultar em uma melhor experiência ao usuário.

As soluções estão presentes ao longo de todo o processo de cadastro e reautenticação de usuários. Na sequência, nós trazemos algumas das principais tecnologias que podem ajudar o seu negócio diante desse desafio.

Prova de vida passiva

A solicitação de uma selfie durante o cadastro ou reautenticação de um usuário é importante como instrumento de prova de vida e análise biométrica para confirmação de identidade, mas pode gerar fricções e desagradar o apostador. A melhor forma de diminuir essas possíveis fricções sem abrir mão da segurança é optar pelo método de prova de vida passiva. 

Diferente da prova de vida ativa, em que o sistema é programado para solicitar e identificar movimentos pontuais do rosto, como um sorriso ou um piscar de olhos, a prova de vida passiva exige apenas que o apostador esteja de frente para a câmera no momento da verificação, pois a captura é feita de forma automática na medida em que o sistema identifica a presença do rosto do usuário. Isso ajuda a evitar que muitos usuários se sintam desconfortáveis ou até mesmo não consigam reproduzir as ações demandadas via prova de vida ativa, desistam do processo e sejam reprovados.

A partir da captura via prova de vida passiva, o processo segue com a realização de uma série de automações para verificar a identidade do indivíduo, como o uso da biometria facial que compara a face capturada com faces pré-existentes em bancos públicos e privados.

Especializada em identificação e reconhecimento facial, a Caf é a única empresa do país a contar com atestado de segurança para tecnologia própria de prova de vida, concedido pelo iBeta Quality Assurance.

Documentoscopia semi-digital

Outra etapa importante para confirmar a identidade de um usuário e evitar fraudes é a solicitação do documento de identidade, cuja autenticidade também pode ser confirmada com o uso da tecnologia, que torna o processo muito mais célere, diminuindo o tempo de resposta ao usuário na comparação com os procedimentos manuais de análise.

A chamada documentoscopia semi-digital - utilizada na Caf - possibilita que cerca de 90% dos RGs sejam avaliados por um sistema de inteligência artificial e só os outros cerca de 10%, que representam casos específicos, passem pelo olho humano de um perito.

Na Caf, as diferentes regras que permitem validar a autenticidade de um documento foram transformadas em código de programação. Por exemplo: um dos indícios de que um RG foi fraudado está no seu alinhamento e o nosso sistema foi ensinado a ler essa informação automaticamente por meio da imagem do documento.

O sistema também consegue identificar, através da foto do RG que chega no onboarding, se o documento foi adulterado digitalmente. Por exemplo, se a pessoa usar o Photoshop e editar o RG, a documentoscopia semi-digital facilmente pode detectar isso, algo que uma pessoa, a olho nu, talvez não consiga.

Optical Character Recognition (OCR)

A solicitação de informações que permitam identificar seus jogadores pode ser facilitada por meio da tecnologia conhecida como Optical Character Recognition (OCR).

Dessa forma, o usuário não perde muito tempo para fornecer seus dados, já que o OCR extrai os dados diretamente do documento e entrega tudo estruturado à empresa, assim como sua equipe não precisa dedicar-se a um trabalho manual de digitação ou conferência de dados.

A função central da tecnologia de OCR consiste no processamento de uma imagem digital localizando e reconhecendo caracteres.

Para você ter uma ideia, com o uso do OCR, cadastros que poderiam demorar dias para serem validados de forma manual, hoje levam em torno de 3 minutos para estarem completos e verificados pelo sistema antifraude.

A partir disso, ao se cadastrar, o usuário envia a foto do seu documento de identidade, seja ele RG ou CNH, e o sistema faz a extração dos dados automaticamente. 

Em caso de documentos inválidos ou ilegíveis, o próprio sistema pode avisar o usuário sobre a necessidade de envio de uma nova imagem.

Autenticação multifator

Outro forma de garantir a segurança do seu usuário - muitas vezes, de forma invisível aos olhos - é fazer uso da chamada autenticação multifator.

De forma resumida e simples, a autenticação multifator consiste na exigência de informações adicionais para provar que um usuário já cadastrado é quem diz ser e, assim, evitar o roubo e/ou invasão de contas.

É aplicada antes da realização de uma determinada ação dentro de uma plataforma ou aplicativo, como o próprio acesso à conta e/ou uma ação específica como a realização de uma transferência monetária. 

Pode ser habilitada de modo que sequer seja percebida pelo usuário, por meio da combinação de três métodos passivos, que funcionam em segundo plano e não demandam nenhuma ação do usuário. 

São eles:

  • Dispositivos 

Capturamos os dados do dispositivo: modelo, marca do modelo, sistema operacional e a data/hora.

  • Localização 

Usamos um serviço próprio de geolocalização para identificar de onde o usuário fez a sua primeira autenticação. Assim, podemos estipular um raio da onde é possível o usuário autenticar sua identidade.

  • Redes 

Coletamos o IP, o provedor e a data/hora de qualquer autenticação feita pelo usuário.

Automatização do background check

A regulamentação do mercado de apostas esportivas vai demandar atenção especial por parte das casas de apostas devido às chamadas listas restritivas com o registro de usuários proibidos. 

A boa notícia é que também há como automatizar esse processo por meio da ferramenta conhecida como background check, que permite fazer uma busca nos sistemas públicos e privados para identificar informações como a presença em listas restritivas para validar o cadastro e aprovar o usuário de forma célere e sem maiores fricções com o usuário.

Um exemplo da aplicação desse recurso se dá no sistema financeiro com a checagem de Pessoas Expostas Politicamente (PEPs) e listas restritivas por parte de instituições bancárias, cuja ação é uma exigência legal com o objetivo de prevenir os crimes de lavagem ou ocultação de bens, direitos e valores. 

O instrumento certamente também pode vir a ser interessante para os operadores de casas de apostas online que desejam conhecer melhor seus usuários, servindo para consultar desde informações como a presença em listas restritivas até informações como antecedentes criminais, dados profissionais e financeiros e muito mais. 

Nossa atuação no segmento

Você está em busca de um parceiro para que seu site de apostas esportivas possa operar no Brasil combatendo fraudes sem descuidar da experiência do usuário? Então, saiba que o mercado de apostas tem recebido atenção especial por parte dos especialistas da Caf. 

Já estamos auxiliando uma série de empresas a garantir um onboarding de usuários mais seguro, realizar a verificação de antecedentes e a validação de usuários ativos. 

Acesse este link para conferir um conteúdo especial sobre nossa atuação e saber mais sobre como podemos ajudar seu negócio.

Mais artigos

Lavagem de dinheiro com apostas esportivas: como evitar?

A ausência de regulamentação do mercado de apostas esportivas contribui para que os sites entrem na mira dos fraudadores.

Read Story

Documentoscopia: tudo sobre o processo de perícia documental

Documentoscopia ajuda a comprovar a autenticidade ou falsidade de documentos de identificação como o RG.

Read Story

Os 5 fatores observados na busca pelo melhor site de apostas

Saiba o que é importante para o usuário e não fique para trás na disputa por uma fatia do mercado nacional de apostas esportivas.

Read Story

Não perca uma postagem.

Se inscreva em nossa newsletter para receber conteúdo exclusivo assim que publicado.
Não iremos compartilhar seu email com terceiros.